O Centro de Referência Especializado de Assistência Social (CREAS) de São Raimundo das Mangabeiras realizou nesta quinta-feira, 20, uma reunião com o objetivo de planejar estratégias para a campanha contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes 2017, com o lema: “Faça Barulho! Dê um basta à violência contra crianças e adolescentes!”. A culminância da campanha será no dia 18 de maio, “Dia Nacional de Luta Contra o Abuso e Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes”. Representantes de diversas entidades participaram da reunião.

Durante a campanha, serão desenvolvidas diversas atividades, como afixação de faixas e cartazes em pontos de maior circulação de pessoas, distribuição de panfletos, palestras e concurso literário nas escolas, palestras na Rádio Comunitária FM Rio Neves, bem como veiculação de áudios e vídeos de conscientização sobre o tema em diversos meios de comunicação, como rádio, TV e mídias sociais. Entre os dias 15 e 18 de maio, a campanha será intensificada, encerrando com uma audiência pública, no dia 18, que contará com diversas apresentações sobre o tema da campanha. O local do encerramento ainda será definido.

A Secretária Municipal de Assistência Social, Lineia Costa, enfatizou que espera contar com a parceria de toda a sociedade para fazer uma “grande mobilização de conscientização sobre o dia 18 de maio”.

A coordenadora do CREAS, Betânia Costa, destacou que “a reunião é o primeiro passo da campanha” e que espera a “sensibilização da comunidade para ajudar a dá um basta na violência e exploração de crianças e adolescentes”.

Participaram da reunião: representantes das secretarias de Assistência Social, Agricultura e Educação, do CRAS, do Departamento de Comunicação, Conselheiros Tutelares, representantes de igrejas, da Pastoral do Menor e outros. A organização da campanha pretende envolver outros órgãos na ação, como Policias Militar e Civil e Promotoria de Justiça. O promotor da comarca será convidado a proferir uma palestra sobre o tema.

18 de maio – Dia Nacional de luta contra o abuso e exploração sexual de crianças e adolescentes 

A escolha da data é uma lembrança a toda a sociedade brasileira sobre a menina sequestrada em 18 de maio de 1973, Araceli Cabrera Sanches, então com oito anos, quando foi drogada, espancada, estuprada e morta por membros de uma tradicional família de Vitória – ES.

Diferença entre Abuso e Exploração Sexual

O abuso sexual envolve contato sexual entre uma criança ou adolescente e um adulto ou pessoa significativamente mais velha e poderosa. As crianças, pelo seu estágio de desenvolvimento, não são capazes de entender o contato sexual ou resistir a ele, e podem ser psicológica ou socialmente dependentes do ofensor. O abuso acontece quando o adulto utiliza o corpo de uma criança ou adolescente para sua satisfação sexual. Já a exploração sexual é quando se paga para ter sexo com a pessoa de idade inferior a 18 anos. As duas situações são crimes de violência sexual.

Denúncias

No Brasil o “Disque 100”, criado pela Secretaria de Direitos Humanos da Presidência da República, é um serviço de recebimento, encaminhamento e monitoramento de denúncias de violência contra crianças e adolescentes.

O Disque 100 funciona diariamente de 8h às 22h, inclusive aos finais de semana e feriados. As denúncias são anônimas e podem ser feitas de todo o Brasil por meio de discagem direta e gratuita para o número 100.